Comprar Ingresso
  • 28.11

    O Som ao Redor

  • 29.11

    Pulp Fiction

  • 30.11

    Quatro Amigas e um Casamento

    Festa Selecta

  • 01.12

    Curtindo a Vida Adoidado

    Baby Sucessos + Festa Odara Ôdesce

  • 02.12

    As Aventuras de Tintim

  • 05.12

    Holy Motors

  • 06.12

    O Poderoso Chefão

  • 07.12

    Era Uma Vez Eu, Verônica

    Trio Preto +1 + Seu Jorge + Karynna Spinelli

  • 08.12

    De Volta para o Futuro

    Festa Brega Naite

  • 09.12

    O Baile Perfumado


Encontro entre o cinema pernambucano e o samba carioca

Chegou o fim de semana. E a programação do Vivo Open Air Recife encontra o ápice em sua maratona de filmes, sick click shows e festas. A noite da sexta-feira (07) foi de pré-estréia e, medicine purchase assim como aconteceu com “O Som ao Redor” no início do evento, a cena cultural pernambucana marcou presença forte para conferir a primeira sessão na cidade do longa “Era uma vez eu, Verônica”. Com produção da REC e direção de Marcelo Gomes, o filme está na lista de mais aguardados do ano entre os cinéfilos locais. E as pessoas que lotaram o espaço montado no Cais de Santa Rita conseguiram assisti-lo em primeira mão.

Antecipar não foi a única vantagem. “É um filme que fala muito do Recife, então assistir ele aqui em pleno centro da cidade, nessa tela que deve ser a maior que já vi na vida, ganha um sentido muito especial”, comentou a jornalista Luciana Veras. Foi o sétimo dia de Vivo Open Air e o filme conseguiu trazer ainda muita gente que não tinha ainda conferido o Vivo Open Air. Entre elas, a atriz Hermila Guedes, que faz a personagem principal de “Era uma vez eu, Verônica”. “É uma emoção muito incrível, porque esse filme é uma declaração de amor do Marcelo ao Recife, uma cidade que eu amo tanto e as pessoas agora podem assistir ao filme e contemplar essa cidade linda”, disse.

Verônica, personagem que dá nome ao longa, é uma médica recém-formada. Ela faz uma auto-reflexão – aliás, mais para uma auto-terapia – sobre as decisões e rumos de sua vida. Sentimentos que se misturam enquanto ela vive a noite da cidade e redescobre um passado urbano através das histórias de seu pai doente. Marcelo faz esse encontro entre o velho e novo Recife de forma bem singela. Através de diálogos e vários planos abertos que expõe a cidade. Exibido no telão de 325m² do Vivo Open Air, ganhou ainda esse novo sentido, dá própria cidade se assistindo ao ar livre.

Com o fim de sessão, chegou a hora do show. A sexta-feira foi dia de samba com o Trio Preto + 1, banda formada por Miudinho, Nene Brown, Pretinho da Serrinha e Didão. Com músicas autorais do primeiro disco, homônimo, e clássicos do samba, eles lotaram ainda mais o lounge do Vivo Open Air no Cais de Santa Rita. De quebra, trouxeram ainda dois convidados mais que especiais: Karynna Spinelli, principal nome do samba no Recife hoje, e o homem da gravata florida, o carioca Seu Jorge, que ao reencontrar os amigos no palco ainda brincou “aqui só tem água filtrada”.

Pretinho da Serrinha, um dos quatro do Trio Preto + 1, ficou impressionado com a primeira apresentação da banda no Nordeste. “Foi emocionante demais. Teve uma hora que a gente falou para o público que iriamos parar, eles falaram que não, parecia uma rave do samba”, contou. “A gente não esperava essa reação toda de nosso trabalho. Nos perguntavamos se seria bom, mas foi ótimo”, resumiu o músico. No palco, a presença do cantor Seu Jorge aumentou essa reação a máxima potencia. No fim, em seu camarim, ele ainda conseguiu criar a paródia definitiva. “A música é uma mulher gostosa e rica, que dorme com todo mundo. Se você quer sua companhia, tem que aceitar esses termos”, filosofou.

O clima de festa continua no Vivo Open Air. No sábado, o filme – que já está com ingressos esgotados – é mais um grande clássico: De Volta Para o Futuro, de Steven Spielberg e Robert Zemeckis. O filme conta a aventura de um adolescente que viaja no tempo e, acidentalmente, acaba alterando a história da sua própria família. Na sequência, uma das festas mais legais da cidade, a Brega Naite, converte o cinema em pista de dança até às 4h da manhã.

Os ingressos para o Vivo Open Air podem ser comprados com antecedência nas lojas Esposende (Shopping Tacaruna e Shopping Recife), no Quiosque do Jornal do Commercio no Shopping Recife e, pela internet, no site Ingresso Rápido. Quem preferir, pode comprar também diretamente na bilheteria do evento, montada no Cais de Santa Rita, em frente a sede da Grande Recife Consórcio de Transportes.

Tags:

Concorra a ingressos, cadastre-se:



Se ligue nos tweets mais recentes.

carregando twitter