Comprar Ingresso

Holy Motors desafia público cinéfilo no Open Air

A maratona de filmes promovida pelo Vivo Open Air retomou nesta quarta-feira (05.12). Com o maior telão ao ar livre do mundo montado no Cais de Santa Rita, cialis no centro do Recife, foi a vez da pré-estréia exclusiva do super elogiado “Holy Motors”. Apresentado pela crítica como “um dos [filmes] mais originais e instigantes do nosso tempo” e estrelado pelas beldades Kylie Minogue e Eva Mendes. O longa reuniu vários cinéfilos e curiosos que queriam conferir em primeira mão a fama que precede a história contada pelo diretor Leos Carax.

O filme conta a história de Oscar, interpretado por Denis Lavant. Um milionário que transita pelas várias ruas de Paris assumindo o papel de vários personagens. Em alguns momentos é um mendigo, em outros um assassino, um pai preocupado, sempre costurando a cidade em uma limousine. Oscar está em busca do movimento, da força motriz, das mulheres e fantasmas de sua vida. Uma história não-linear, misturando tanto perspectivas narrativas como a própria construção de sentido do roteiro. Muito fica a cargo da percepção e contextualização do público.

Pedro Henrique, estudante universitário, encarou como um desafio. “Acho que é um filme que fala do próprio cinema, do exercício do ator. Cada cena são como se fossem pequenos filmes dentro do filme”, arrisca uma explicação. Já Marcela de Azevedo, resumiu um “foi bizarro!” de forma bem positiva “Uma viagem bizarra, bem chapante. Dá para pensar em várias coisas loucas vendo o filme”, completou. Desafio de interpretação que sempre dá um sabor especial a qualquer filme.

De certo modo, o telão imponente – com 325m² – do Open Air, consegue devolver um pouco dessa aura perdida de desafio tão comum ao cinema. Desde sua estréia no Brasil, o evento – que já passou por Madrid, Santiago e Chile – tem sido associado a captar um pouco dessa antiga magia do cinema. Com “Holy Motors”, mostra que isso não é exclusividade dos clássicos, mas também algo que pode ser encontrado na produção contemporânea internacional.

Em sua segunda semana, a programação do Vivo Open Air segue com clássicos e estreias. Na quinta-feira tem “O Poderoso Chefão”, do cultuado Francis Ford Coppola, com Marlon Brando e Al Pacino no elenco. Conta a história de Don Corleone, o chefe de uma família da máfia italiana. Lançado em 1976, levou três óscares: melhor filme, melhor diretor e melhor roteiro adaptado. O filme é baseado na obra original de Mario Puzzo. No fim de semana, além de filmes, o evento também recebe show de Trio Preto + 1 com Seu Jorge e Karynna Spinelli; além da festa Brega Naite.

Os ingressos para o Vivo Open Air podem ser comprados com antecedência nas lojas Esposende (Shopping Tacaruna e Shopping Recife), no Quiosque do Jornal do Commercio no Shopping Recife e, pela internet, no site Ingresso Rápido. Quem preferir, pode comprar também diretamente na bilheteria do evento, montada no Cais de Santa Rita, em frente a sede da Grande Recife Consórcio de Transportes.


Domingo, cinema e pipoca

Nesse domingo o Vivo Open Air Recife exibiu os filmes “As Aventuras de Tintim” e “Uma História de Amor e Fúria”. Duas animações e muita pipoca.


Hermila Guedes, candidata a femme fatale

A atriz que interpretou Elis Regina, em série homônima da TV Globo, e foi coadjuvante no primeiro filme do diretor Marcelo Gomes, “Cinema, Aspirinas e Urubus”, virou protagonista no mais novo lançamento do cineasta. Em “Era Uma Vez Eu, Verônica”, que pré-estreia dia 7 de dezembro no VIVO OPEN AIR, Hermila Guedes interpreta uma estudante de medicina que passa por incertezas de como lidar com a vida.  A promessa de reencontro entre os profissionais foi feita ainda no primeiro trabalho deles cinema, quando Marcelo ficou encantado com a atuação da atriz.

“A ideia de fazer um filme com uma mulher protagonista surgiu de uma junção de desejos. Eu via aqueles filmes com as mulheres fatais do cinema, aquelas grandes estrelas, e todos se passavam em lugares diversos, mas nunca na minha cidade. Eu ficava pensando em que lugares personagens como aquelas iriam se locomover, que histórias iriam viver no Recife. O segundo desejo veio do meu contato com a Hermila. Fiquei encantado com o trabalho, com a figura dela. Disse a ela: ‘um dia vou fazer um filme em que você será a protagonista'”, disse o diretor ao site Revista de Cinema.

A decisão, pelo que parece, foi acertada. De acordo com a crítica do Pipoca Moderna, é graças a combinação do bom trabalho de ambos que o filme surte o efeito desejado. “Porque se em ‘Era Uma Vez Eu, Verônica’ o talento e o apuro do diretor Marcelo Gomes alcançam uma sensibilidade honesta, isso se deve em grande parte à atuação de Hermila”, rasga-se em elogios.

Garanta já seu ingresso para assistir ao mais novo filme que tem Pernambuco como pano de fundo!


Magia do cinema na sessão infantil do Vivo Open Air

A relação parece quase mágica. Bastou os portões do Vivo Open Air Recife abrirem no Cais de Santa Rita que a criançada correu direto em direção da pipoca. Tipo esses filmes de aventura que passam de tarde na televisão, clinic um mapa secreto já indicava a direção exata do tesouro. O primeiro domingo do evento – que chega oficialmente na metade de sua programação – foi recheado desse clima. Família, illness brisa do mar, cinema, pipoca e muita aventura. Era a exibição da animação 3D “As Aventuras de Tintim” e do brasileiro “Uma História de Amor e Fúria”.

Se por um lado a aventura rumo a pipoca não teve obstáculos, a história de Tintim, personagem de quadrinhos criado pelo cultuado artista Hergé, foi outra. Após adquirir o que seria apenas uma peça de decoração para sua casa, o jornalista e seu fiel companheiro, o cachorrinho Milu, descobrem a suposta localização de um galeão naufragado que esconde um tesouro. Ele embarca então numa viagem pelo mundo em uma disputa contra o tempo e vilões.

Na sequência veio um longa com sotaque brasileiro. “Uma História de Amor e Fúria” é dirigido por Luiz Bolognesi (“Bicho de Sete Cabeças” e “Chega de Saudade”) e tem vozes de Camila Pitanga, Selton Mello e Rodrigo Santoro. A história, carregada de um denso subtexto político, mostra um caso de amor que atravessa o tempo. E, nessa jornada, dá um recorte das histórias de conflitos do Brasil. A animação faz um recorte fiel do país de 1500 à 1968, incluindo uma preocupante previsão de como seriam essas disputas no ano de 2096.

Tão legal quanto assistir aos filmes era presenciar a reação da criançada que marcou presença. Quando o telão de 325m² do Vivo Open Air começou a subir, teve quem ficou de queixo caído e boca aberta o tempo inteiro. Teve quem dançasse junto a música que tocava e não parasse de apontar para a estrutura hidráulica que dá suporte a tela montada no Cais de Santa Rita. Quando encerrou, os aplausos eram tão fortes que parecia até mesmo que aquele que era o espetáculo principal e dali mesmo já poderiam voltar para casa.

Mesmo com todo o sucesso que os filmes traziam na bagagem, quem ganhou os holofotes na noite foi Lucas Batista. Com 7 anos de idade, ele era visto com frequência como “flanelinha” mirim em frente ao Vivo Open Air. Foi convidado a entrar e curtir os filmes, com direito a pipoca e refrigerante. Todo orgulhoso, dava show na simplicidade, “é minha pipoca, mas se quiser pode pegar”, oferecia, para todos que devolviam sorriso para a felicidade estampada em seu rosto. “Eu já tinha ido no cinema uma vez só”, disse, “esse aqui é massa, gigante”, disse o garoto, que mora no bairro dos Coelhos com a avó.

A programação do Vivo Open Air continua a partir da quarta-feira com a pré-estréia exclusiva de “Holy Motors”, um passeio por uma Paris sombria pela perspectiva do diretor francês Leos Carax. Nos dias seguintes, tem o clássico definitivo “O Poderoso Chefão”, a pré-estréia de “Era uma Vez Eu Verônica” do cineasta pernambucano Marcelo Gomes, “De Volta Para o Futuro” e “Baile Perfumado” de Paulo Caldas e Lírio Ferreira. Na sexta-feira tem um grande encontro no palco, com Trio Preto + 1, Seu Jorge e a sambista Karyna Spinelli e, no sábado, a festa Brega Naite.

Os ingressos para o Vivo Open Air podem ser comprados com antecedência nas lojas Esposende (Shopping Tacaruna e Shopping Recife), no Quiosque do Jornal do Commercio no Shopping Recife e, pela internet, no siteIngresso Rápido. Quem preferir, pode comprar também diretamente na bilheteria do evento, montada no Cais de Santa Rita, em frente a sede da Grande Recife Consórcio de Transportes.


Baby do Brasil e a festa Odara Ôdesce

Veja como foi a noite alto astral de sábado do Vivo Open Air Recife.Filme Curtindo a vida adoidado, cheap Show com Baby do Brasil e a festa Odara Ôdesce garantiram o agito.

Página 3 de 812345...Última »

Concorra a ingressos, cadastre-se:



Se ligue nos tweets mais recentes.

carregando twitter