Comprar Ingresso
  • 28.11

    O Som ao Redor

  • 29.11

    Pulp Fiction

  • 30.11

    Quatro Amigas e um Casamento

    Festa Selecta

  • 01.12

    Curtindo a Vida Adoidado

    Baby Sucessos + Festa Odara Ôdesce

  • 02.12

    As Aventuras de Tintim

  • 05.12

    Holy Motors

  • 06.12

    O Poderoso Chefão

  • 07.12

    Era Uma Vez Eu, Verônica

    Trio Preto +1 + Seu Jorge + Karynna Spinelli

  • 08.12

    De Volta para o Futuro

    Festa Brega Naite

  • 09.12

    O Baile Perfumado


Sorrir e cantar como Baby do Brasil

Pouquíssimos títulos na história do cinema tiveram a sorte de jamais serem contestados. O de John Hughes como rei dos filmes adolescentes entra nessa lista. A edição do Recife do Vivo Open Air prestou sua homenagem ao diretor – falecido em 2009 – de clássicos como “Clube dos Cinco”, “A Garota de Rosa Shocking”, “Férias Frustradas de Verão” e da trilogia “Esqueceram de Mim”. O escolhido para ser exibido no telão de 325m² foi “Curtindo a Vida Adoidado”, que revelou a carreira do ator Matthew Broderick e marcou uma geração inteira com cenas que entraram para a história da cultura pop.

O título do filme caiu como uma luva para o clima da noite. Depois da sessão lotada, o público curtiu adoidado um show que já entra para a história do Recife. Baby do Brasil já subiu ao palco com uma super descarga de energia para quem aguardava ansioso a presença da diva, juntinho da grade. “Seus Olhos”, “Telúrica” e “Tinindo trincando” formaram a trinca de boas vindas. A última, dos Novos Baianos, foi quem deu a liga a dois perfis de público que se encontravam e viravam cúmplices confessos da nova turnê de Baby.

“Junta o pessoal que gostava dos Novos Baianos, com que conhece as músicas novas”, concordava Baby momentos após a apresentação. “E tem essa coisa do Pedrinho, que era só um bebê na época e hoje é esse rapaz enorme, no mesmo lugar que o pai ficava no palco!”. A presença, na verdade, vai além. Essa volta tem produção assinada pelo Pedro Baby, filho da cantora que, no palco, responde não só a altura da energia, mas como um verdadeiro maestro junto a banda.

O repertório passa ainda por outros clássicos da carreira de Baby. “Lá vem o Brasil Descendo a Ladeira”, “Sorrir e cantar como Bahia” e “Todo dia era dia de índio” pontuaram os grandes momentos, em que o público cantava alto, em coro, dando novo sentido ao momento. Logo após a apresentação, Allana Marques, Lucas Logiovine e LalaK transformaram a arena da Vivo em uma grande pista de dança com a festa Odara Ôdesce.

Os set’s passaram por tudo que foi feito de mais fino na música brasileira. Samba, funk, brega, sertanejo e o que mais entrasse de trilha sonora para dançar junto, jogando os braços para cima, cantando sorrindo e descendo até o chão. Alto astral que varou a madrugada e viu o sol nascer no Cais de Santa Rita. A quarta noite do Vivo Open Air encerrou em um grande clima de celebração.

Nesta sexta-feira, a maratona de filmes chega a sua metade com uma sessão infanti. Os portões abrem às 17h e o público pode assistir as animações 3D “As Aventuras de Tintin” e “Uma História de Amor e Fúria”. Ao contrário do que foi divulgado anteriormente, o filme de Tintin será legendado e quem já tiver garantido o ingresso antecipado, se assim desejar, poderá ser reembolsado diretamente na bilheteria do evento.

Os ingressos para o Vivo Open Air podem ser comprados com antecedência nas lojas Esposende (Shopping Tacaruna e Shopping Recife), no Quiosque do Jornal do Commercio no Shopping Recife e, pela internet, no site Ingresso Rápido. Quem preferir, pode comprar também diretamente na bilheteria do evento, montada no Cais de Santa Rita, em frente a sede da Grande Recife Consórcio de Transportes.

Tags:

Concorra a ingressos, cadastre-se:



Se ligue nos tweets mais recentes.

carregando twitter